segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Aberta a temporada de caça para profissionais de métricas

O mercado nunca esteve tão aquecido na área de comunicação. Não importa a área, os bons profissionais estão sendo disputados a tapa, para tentar fugir dessa inflação o jeito é pegar profissionais quase inexperientes e treinar.

Com esse pensamento abri um processo seletivo para a contratação de um analista de métricas/monitoramento, em pouco mais de uma semana recebi 819 currículos nos mais variados formatos, com pessoas de todas as idades, profissões, formação e objetivos. Isso tudo porque fiz um anúncio bem específico sobre as qualidades do profissional que buscava, mas percebi que ninguém lê anúncio, apenas manda o currículo com aquele pensamento: vai que cola!

Destes 819 currículos consegui fazer um mapeamento interessante do público que está querendo dar um upgrade na carreira:

  • 94% são mulheres
  • 52% tem pós-graduação ou MBA
  • 29% estão cursando uma pós-graduação ou MBA
  • 83% não falam nenhum idioma, mas
  • 56% afirmam ter o inglês básico
  • 91% não colocou nenhum link para rede social que participa
  • 39% são jornalistas com experiência
  • 0,2% já tinham trabalhado com monitoramento

Um dos pontos que me chamou a atenção foi o objetivo profissional; "Continuar as minhas aspirações profissionais, contribuindo assim para o meu crescimento profissional.", "Atuar na área de Comunicação Corporativa", "Ter a oportunidade de adquirir experiência e obter êxito profissional.", entre tantos outros se juntaram a falta de tato, de cuidado com um documento que serviria como porta de entrada para um emprego.

No final, não consegui selecionar ninguém, mas resolvi investir em um candidato que tinha tudo de errado na apresentação, mas era fluente em inglês. Foi uma aposta que ainda é cedo para saber se acertei, mas diante desse cenário vejo que a crise de bons profissionais vai se agravar e cada vez mais inflacionar o mercado.

Conclusão. Apesar de me surpreender a quantidade de currículos que não atendiam nem 70% das exigências, também percebo que existe um grande público que busca se aperfeiçoar, mas com retorno financeiro.

O mercado de métricas e monitoramento é um dos que mais crescem e oferecem bons salários para um profissional que quer ingressar nesse novo segmento, além de oferecer base para trabalhar com qualquer outra área: planejamento, criação, projetos, auditória de campanhas, entre outras.

A tentativa para entrar no mercado é justa, mas falta adequação do currículo para a vaga pretendida e essa falta de cuidado pode queimar a imagem do profissional para qualquer possível vaga.



Aberta a temporada de caça para profissionais de métricas

O mercado nunca esteve tão aquecido na área de comunicação. Não importa a área, os bons profissionais estão sendo disputados a tapa, para tentar fugir dessa inflação o jeito é pegar profissionais quase inexperientes e treinar.

Com esse pensamento abri um processo seletivo para a contratação de um analista de métricas/monitoramento, em pouco mais de uma semana recebi 819 currículos nos mais variados formatos, com pessoas de todas as idades, profissões, formação e objetivos. Isso tudo porque fiz um anúncio bem específico sobre as qualidades do profissional que buscava, mas percebi que ninguém lê anúncio, apenas manda o currículo com aquele pensamento: vai que cola!

Destes 819 currículos consegui fazer um mapeamento interessante do público que está querendo dar um upgrade na carreira:

  • 94% são mulheres
  • 52% tem pós-graduação ou MBA
  • 29% estão cursando uma pós-graduação ou MBA
  • 83% não falam nenhum idioma, mas
  • 56% afirmam ter o inglês básico
  • 91% não colocou nenhum link para rede social que participa
  • 39% são jornalistas com experiência
  • 0,2% já tinham trabalhado com monitoramento

Um dos pontos que me chamou a atenção foi o objetivo profissional; "Continuar as minhas aspirações profissionais, contribuindo assim para o meu crescimento profissional.", "Atuar na área de Comunicação Corporativa", "Ter a oportunidade de adquirir experiência e obter êxito profissional.", entre tantos outros se juntaram a falta de tato, de cuidado com um documento que serviria como porta de entrada para um emprego.

No final, não consegui selecionar ninguém, mas resolvi investir em um candidato que tinha tudo de errado na apresentação, mas era fluente em inglês. Foi uma aposta que ainda é cedo para saber se acertei, mas diante desse cenário vejo que a crise de bons profissionais vai se agravar e cada vez mais inflacionar o mercado.

Conclusão. Apesar de me surpreender a quantidade de currículos que não atendiam nem 70% das exigências, também percebo que existe um grande público que busca se aperfeiçoar, mas com retorno financeiro.

O mercado de métricas e monitoramento é um dos que mais crescem e oferecem bons salários para um profissional que quer ingressar nesse novo segmento, além de oferecer base para trabalhar com qualquer outra área: planejamento, criação, projetos, auditória de campanhas, entre outras.

A tentativa para entrar no mercado é justa, mas falta adequação do currículo para a vaga pretendida e essa falta de cuidado pode queimar a imagem do profissional para qualquer possível vaga.



4 comentários:

  1. realmente o curriculo e um importante fator para a selecao do candidato. gostaria de obter algumas dicas para tornar o "objetivo profissional" um diferencial, por favor.

    ResponderExcluir
  2. A área de internet está em alta, o mercado aquecido e, como você bem percebeu, os bons profissionais estão disputados. Com tanta demanda, fica complicado peneirar quem tá ali porque realmente conhece a área ou apenas em busca de um lugar ao sol, muitos iludidos pelos salários que alguns poucos profissionais ganham.

    Vejo uma multidão de pessoas desesperadas atirando para qualquer oportunidade de trabalho com redes sociais. Mas também vejo muita gente interessada no assunto. Infelizmente, esses me parecem tão perdidos quanto os "iludidos", em uma área que está ainda está se estruturando e formatando os profissionais ideais, para o trabalho ideal.

    ResponderExcluir
  3. Oi Anônimo, Acredito que não existe caso em que o objetivo profissional seja ideal para um currículo. Vejo que uma carta de apresentação explicando os motivos da candidatura à vaga, quais são as suas qualificações e como você acredita que vai agregar contribuir a equipe são mais importantes.

    Abs,

    Skrol

    ResponderExcluir
  4. Ariana Dias15/9/11 2:38 PM

    Olá tudo bem?

    Ouço muito falar em metricas, ja fiz cursos focados em social media a parece que até quem ensina nao sabe fazer metrica, porque nao ensinam....investi um valor consideravel em um cruso aqui em sao paulo e nada..fala-se muito no poder da internet, mostra-se videos legais, filosofias futuristas e metricas...nada.

    Tem ago a me indicar, pra que ue possa realmente parender algo que eu quero muito fazer.

    Muito Obrigado.

    ResponderExcluir

compartilhar

Posts relacionados