sábado, 21 de novembro de 2009

Como mensurar ações nas redes sociais

Em vários debates e até mesmo muitas agências ainda discutem a impossibilidade de se medir alcance, relevância e as ações nas Redes sociais ou o que medir e como medir.

As maneiras variam de acordo com a necessidade de cada um. Um primeiro passo pode ser visto no post do blog Media Post Publication, escrito por David Berkowitz, no qual o título é "100 Ways To Measure Social Media".

Algumas dicas podem parecer fáceis e/ou repetidas. Outras vão ser consideradas amplas e impraticáveis. Também vai ter aquelas que combinadas com outras podem criar novas métricas que, em seguida, podem ser rastreadas ao longo do tempo.

Entretanto o mais importante para mensurar ações, brands e relevância nas redes sociais é ter em mente que os números não mentem. Maquiar, torturar e tentar uma interpretação diferente é possível, da mesma forma que é muito fácil descobrir falhas em relatórios de ações.

Assim, antes de começar a medir é necessãrio saber quais os objetivos do cliente, planejar a melhor forma de conseguir os dados e aplicar as métricas mais pertinentes.
  1. Volume de buzz criado pelo público em torno de uma marca com base no número de posts
  2. Volume de buzz gerado com base no número de impressões;
  3. Mudança no buzz ao longo do tempo;
  4. Buzz por hora do dia / parte do dia;
  5. Sazonalidade do buzz;
  6. Competição com outros assuntos em alta;
  7. Buzz por categoria / tema / tópico;
  8. Buzz por rede social (fóruns, redes sociais, blogs, Twitter, etc);
  9. Buzz por etapa de compra (por exemplo, pesquisando vs. concluir transação vs. pós-compra);
  10. Populariadade ativa (por exemplo, se vários vídeos estão disponíveis para incorporar, qual é usado mais?);
  11. Impacto na mídia tradicional;
  12. Fãs;
  13. Followers;
  14. Amigos;
  15. Taxa de crescimento dos fãs, seguidores e amigos;
  16. Taxa de vitalidade;
  17. Alteração nas taxas de vitalidade ao longo do tempo;
  18. Abrangência ou alcance de segundo grau (conexões para os fãs, seguidores e amigos expostos – por pessoas ou impressões);
  19. Incorporações e replicações do conteúdo;
  20. Downloads;
  21. Uploads;
  22. Visualização iniciada pelos usuários (ex.: para vídeos);
  23. Taxa de players ou favoriting;
  24. Likes / Favoritos;
  25. Comentários;
  26. Avaliações;
  27. Social bookmarks;
  28. Inscrições (RSS, podcasts, vídeo série);
  29. Pageviews (para blogs, microsites, etc);
  30. CPM efetivo com base em gastos por impressões recebidas;
  31. Mudanças na classificação nos mecanismos de busca do site ligado ao meio das mídias sociais;
  32. Mudanças em partes do motor de busca de voz para todos os sites sociais que promovam a marca;
  33. Aumento nas buscas devido à atividade social;
  34. Percentagem de buzz contendo links;
  35. Links classificados por influência dos editores;
  36. Percentagem de buzz em contendo multimédia (imagens, vídeo, áudio);
  37. Compartilhar a voz em sites sociais enquanto executa o ganho e pagamento da mídia no mesmo ambiente;
  38. Influência dos consumidores atingidos;
  39. Influência dos editores atingido (ex.: blogs);
  40. Influência das marcas participantes em canais sociais;
  41. Demografia do público-alvo envolvido com canais sociais;
  42. Demografia do público atingido através de meios sociais;
  43. Hábitos de Social Media / interesses do público-alvo;
  44. Geografia da participação dos consumidores;
  45. Sentimento em volume de posts;
  46. Sentimento em volume de impressões;
  47. Mudanças no sentimento antes, durante e depois de programas de marketing social;
  48. Línguas faladas pelos participantes dos consumidores;
  49. O tempo gasto com conteúdo distribuído;
  50. O tempo gasto no local através de referências de mídia social;
  51. Método de descoberta de conteúdo (de pesquisa, de passagem ao longo de motores, descoberta, etc);
  52. Cliques;
  53. Porcentagem do trafico gerada do ganho em mídia;
  54. View-throughs
  55. Número de interações;
  56. Taxa de interaçã/participação;
  57. Freqüência de interações sociais por consumidor;
  58. Porcentagem de vídeos visualizados;
  59. Pesquisas realizadas / votos recebidos;
  60. Associação de Marca;
  61. Retribuição de compra;
  62. Número de usuários geradas a partir das contribuições recebidas;
  63. Exposições de gifs;
  64. Número de gifs compartilhados;
  65. Popularidade relativa de conteúdo;
  66. Tags agregadas;
  67. Atributos de tags (por exemplo, qual a percepção que tem da própria marca);
  68. Inscrições de usuários em aplicativos de redes sociais (por exemplo, o Facebook Connect, Twitter OAuth);
  69.  Inscrições pelo canal (por exemplo, Web, aplicativo para desktop, aplicações móveis, SMS, etc);
  70.  Debater ou contestar o assunto;
  71.  Número de participantes da sala de bate-papo;
  72.  Contribuintes Wiki;
  73.  Impacto do Marketing ou Eventos ofline nos prgramas de Marketing Social ou no Buzz gerado;
  74.  Conteúdo gerado pelo usuário que pode ser usado pelo comerciante em outros canais;
  75.  Clientes atendidos;
  76.  Proteção ou Preservação por cliente assistido através da s interações diretas na mídia social comparado com outros canais;
  77.  Economias geradas ao permitir que clientes se conectam uns com os outros;
  78.  Impacto na resolução do primeiro contato;
  79.  A satisfação do cliente;
  80.  Volume de feedback gerado pelos clientes;
  81.  Pesquisar e desenvolver tempo baseado no feedback advindo das mídias sociais;
  82.  Sugestões implementadas a partir do feedback social;
  83.  Economia ao não gastar em pesquisa tradicional;
  84.  Impacto sobre as vendas on-line;
  85.  Impacto sobre as vendas offline;
  86.  Taxa de desconto de resgate;
  87.  Impacto sobre o comportamento offline;
  88.  Lideranças geradas;
  89.  Produtos analisados;
  90.  Visits to store locator pages;
  91.  Conversão de mudanças devido à classificação do usuário, opiniões;
  92.  Taxa de retenção do clientes/visitante;
  93.  Impacto sobre o valor da vida do cliente;
  94.  Aquisição do cliente / retenção de custos através da mídia social;
  95.  Variação na quota de mercado;
  96.  Ganhos do impacto da mídia social sobre os resultados da mídia paga;
  97.  Respostas para os eventos socialmente postados;
  98.  Presença em eventos gerados pelas pessoas;
  99.  Alcance dos funcionários ( para programas internos);
  100.  Aplicações de trabalhos recebidos.
Como fez David Berkowitz em seu blog, também convido os leitores a indicar outras maneiras de medir o impácto gerado com as Mídias Sociais na área de comentários abaixo.

Um comentário:

Sibele disse...

Bem, indico:

- Análise das hashtags utilizadas pelos usuários, verificando seu grau de correlação com o buzz (uma vez que são geradas espontaneamente, através de folksonomia, as tags atribuídas ao buzz podem refletir a significância do mesmo para o usuário);

- Mapeamento gráfico para a análise visual das redes sociais, permitindo observar graficamente os diversos relacionamentos estabelecidos pela trajetória do buzz.

compartilhar

Posts relacionados