sábado, 11 de julho de 2009

O perfil dos usuários do Twitter no mundo



A empresa de consultoria e análises Sysomos lançou, no início deste mês, um relatório sobre o uso de Twitter em vários países. Diferente dos demais estudos publicados o grande atrativo deste é a abrangência.

A grande maioria dos estudos se limitam a uma pequena quantidade de dados coletados no Twitter e as lacunas restantes são preenchidas por adivinhações, como: o gênero com base em nomes reais ou tração de dados de palavras-chave na informação da bio dos usuários. Isso muitas vezes gera alguns resultados questionáveis - e o relatório de Sysomos não é imune a isso (por exemplo, se achar que 65 % dos usuários de Twitter tem 25 anos de idade baseando-se apenas em dados de 0,7 % dos usuários que realmente divulgam a sua idade).

Entretanto, o relatório compartilha algumas observações bastante interessantes que podem ajudar a compreender melhor o potencial do Twitter como uma ferramenta de negócios:

1. 21% das contas de Twitter não tem nenhum conteúdo. Muitos são criados por empresas para protegerem as suas marcas ou por um usuário buscando conhecer a ferramenta;

2. Quase 94 % de todas as contas de Twitter tem média de seguidores inferior a 100 usuários;

3. Os meses de Março e Abril de 2009 foram o ponto alto do Twitter. Neste período, Ashton Kutcher lançou sua campanha para chegar ao um milhão de seguidores mais rápido do que a CNN;

4. 150 é o número mágico na ferramenta. Segundo o estudo até o este patamar a maioria dos usuários tendem a seguir de volta todos que derem um "Follown", quando passa dessa marca a taxa de reciprocidade e interação dos usuários com os seus seguidores diminuem;

5. O buzz gerado na ferramenta é feito por uma pequena minoria. O efeito da "calda longa" pode ser totalmente aplicado ao Twitter, com esse pequeno grupo que gera a maior atividade. Transformando essa realidade em números seriam: 5% dos usuários são responsáveis por 75% de toda a atividade. Para o universo de redes sociais a aplicação consegue promover uma audiência em massa para determinados assuntos;

6. Metade de todos os usuários Twitter não são "ativos", ou seja, segundo a definição da Sysomos, os usuários que postam apenas uma vez por semana compreendem 50,4% de todos os usuários e somente 30% tem o hábito de twitar mais de uma vez por semana;

7. Terça-feira é o dia mais ativo de Twitter, seguido de quarta-feira e sexta-feira;

8. APIs foram a chave do crescimento da Twitter. Em termos de ferramentas 55% dos usuários utilizam alguma ferramenta para publicar seu conteúdo;

9. O idioma predominante no twitter ainda é o inglês. Um dos motivos é a facilidade reduzir um pensamento em 140 caracteres. Em um comparativo com a Rússia a ferramenta encontraria grande dificuldade de popularização, devido ao grande número de letras utilizados para gerar uma única palavra.

O relatório de Sysomos ainda destaca os quatro países de maior utilização do Twitter em língua inglesa: EUA 62%, Inglaterra 8% , Canadá 5,7% e Austrália 2,8%. O maior número de usuários de um país que não tem o idioma inglês como oficial é o Brasil com participação de 2 %. As cidades com as maiores populações de Twitter são Nova Iorque, Los Angeles, Toronto, São Francisco e Boston. Los Angeles é a cidade com o maior crescimento de usuários;

10. O perfil dos usuários ativos do Twitter é de pessoas aficionadas pelos meios de comunicação. Essa percepção foi extraída de 15 % dos usuários, que são seguidos por mais de 2000 pessoas e se identificam como promotores. Estes indivíduos são mais susceptíveis lançar novidades dentro da rede, além de terem uma comunicação e participação ativa.

O relatório completo do Sysomos pode ser baixado pelo endereço: http://www.sysomos.com/insidetwitter/

O perfil dos usuários do Twitter no mundo



A empresa de consultoria e análises Sysomos lançou, no início deste mês, um relatório sobre o uso de Twitter em vários países. Diferente dos demais estudos publicados o grande atrativo deste é a abrangência.

A grande maioria dos estudos se limitam a uma pequena quantidade de dados coletados no Twitter e as lacunas restantes são preenchidas por adivinhações, como: o gênero com base em nomes reais ou tração de dados de palavras-chave na informação da bio dos usuários. Isso muitas vezes gera alguns resultados questionáveis - e o relatório de Sysomos não é imune a isso (por exemplo, se achar que 65 % dos usuários de Twitter tem 25 anos de idade baseando-se apenas em dados de 0,7 % dos usuários que realmente divulgam a sua idade).

Entretanto, o relatório compartilha algumas observações bastante interessantes que podem ajudar a compreender melhor o potencial do Twitter como uma ferramenta de negócios:

1. 21% das contas de Twitter não tem nenhum conteúdo. Muitos são criados por empresas para protegerem as suas marcas ou por um usuário buscando conhecer a ferramenta;

2. Quase 94 % de todas as contas de Twitter tem média de seguidores inferior a 100 usuários;

3. Os meses de Março e Abril de 2009 foram o ponto alto do Twitter. Neste período, Ashton Kutcher lançou sua campanha para chegar ao um milhão de seguidores mais rápido do que a CNN;

4. 150 é o número mágico na ferramenta. Segundo o estudo até o este patamar a maioria dos usuários tendem a seguir de volta todos que derem um "Follown", quando passa dessa marca a taxa de reciprocidade e interação dos usuários com os seus seguidores diminuem;

5. O buzz gerado na ferramenta é feito por uma pequena minoria. O efeito da "calda longa" pode ser totalmente aplicado ao Twitter, com esse pequeno grupo que gera a maior atividade. Transformando essa realidade em números seriam: 5% dos usuários são responsáveis por 75% de toda a atividade. Para o universo de redes sociais a aplicação consegue promover uma audiência em massa para determinados assuntos;

6. Metade de todos os usuários Twitter não são "ativos", ou seja, segundo a definição da Sysomos, os usuários que postam apenas uma vez por semana compreendem 50,4% de todos os usuários e somente 30% tem o hábito de twitar mais de uma vez por semana;

7. Terça-feira é o dia mais ativo de Twitter, seguido de quarta-feira e sexta-feira;

8. APIs foram a chave do crescimento da Twitter. Em termos de ferramentas 55% dos usuários utilizam alguma ferramenta para publicar seu conteúdo;

9. O idioma predominante no twitter ainda é o inglês. Um dos motivos é a facilidade reduzir um pensamento em 140 caracteres. Em um comparativo com a Rússia a ferramenta encontraria grande dificuldade de popularização, devido ao grande número de letras utilizados para gerar uma única palavra.

O relatório de Sysomos ainda destaca os quatro países de maior utilização do Twitter em língua inglesa: EUA 62%, Inglaterra 8% , Canadá 5,7% e Austrália 2,8%. O maior número de usuários de um país que não tem o idioma inglês como oficial é o Brasil com participação de 2 %. As cidades com as maiores populações de Twitter são Nova Iorque, Los Angeles, Toronto, São Francisco e Boston. Los Angeles é a cidade com o maior crescimento de usuários;

10. O perfil dos usuários ativos do Twitter é de pessoas aficionadas pelos meios de comunicação. Essa percepção foi extraída de 15 % dos usuários, que são seguidos por mais de 2000 pessoas e se identificam como promotores. Estes indivíduos são mais susceptíveis lançar novidades dentro da rede, além de terem uma comunicação e participação ativa.

O relatório completo do Sysomos pode ser baixado pelo endereço: http://www.sysomos.com/insidetwitter/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

compartilhar

Posts relacionados