sábado, 28 de fevereiro de 2009

Aberta a temporada de locação

A baixa temporada no setor turístico, com o término das férias e carnaval, passa ser a alta temporada dos locatários de imóveis. Agora, os preços voltam a se normalizar e é possível, inclusive, conseguir fazer bons negócios.

Durante o mês de março já é possível encontrar alguns imóveis. Embora, a grande oferta comece na segunda quinzena do mês quando os donos já concluíram as reformas e descobriram o péssimo negócio da locação por temporada.

No Rio de Janeiro, usando como parâmetro o bairro de Copacabana, os alugueis nos últimos meses estavam inflacionados e um conjugado (quarto, banheiro e cozinha) não era encontrado por menos de R$ 600, fora o condomínio que vária entre R$ 170 e R$ 200.

Agora, muitos proprietários e administradoras vão tentar aproveitar o momento e manter o mesmo preço. Mas o futuro inquilino se fizer uma boa pesquisa vai encontrar imóveis do mesmo padrão com preço nunca superior a R$ 450. A variação ou o valor acima somente quando a localização for muito privilegiada, como em ruas próximas a Orla.

Em ruas a partir da Barata Ribeiro os imóveis já começam a sinalizar uma redução de preços e facilmente pode-se encontrar aluguéis entre R$ 500 e R$ 550.

Cuidados. As exigências para quem está locando são inúmeras e varia de acordo com cada administradora e proprietário, mas no geral é exigido fiador ou deposito de três meses do aluguel, além de comprovação de renda onde seja possível constatar que o futuro inquilino não estará comprometendo mais que 25% do seu salário, referências, nome limpo no SPC e Serasa.

Em alguns casos e de acordo com o imóvel é exigido cópia da última declaração do Imposto de Renda e extrato bancário dos últimos seis meses.

Se o futuro inquilino sobreviver a tudo isso é hora de tomar as próprias precauções para não ganhar uma dor-de-cabeça mais adiante. As principais dicas é exigir tudo documentado e desconfiar de proprietários que oferecem muitos benefícios e facilitam muito o negócio.

Dicas para uma boa locação
- Fazer uma vistoria prévia e meticulosa de todo o imóvel;
- Conferir toda a instalação elétrica e hidráulica;
- Quando o gás estiver desligado verificar na CEG se existe alguma pendência como vistorias e contas em aberto;
- Vale lembrar que uma vez que o gás tenha sido desligado em muitos casos a CEG exige uma nova vistoria e com ela várias adaptações passam a ser necessárias;
- Não aceitar apenas a vistoria do proprietário, lembre-se depois de assinado vai ser mais difícil contestar qualquer coisa;
- Exigir que todos os "entendimentos" como mudanças de instalações, adaptações e direitos estejam estipuladas no contrato;
- Igualmente exigir que seja estipulado no contrato qual vai ser a forma para a devolução do depósito, quando for o caso.

Um comentário:

imoveis disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.

compartilhar

Posts relacionados