sábado, 3 de janeiro de 2009

O ano da baleia

Catástrofes naturais, economia instável, bolsas caindo, bancos quebrando, uma mulher e um negro disputando a presidência da maior potencia do mundo, que no final mostro-se tão frágil como qualquer tigre asiático e finalmente a eleição do primeiro presidente negro, em um país que fala de democracia, mas ainda não conseguiu abolir o racismo e mantém um sistema de leis que viola qualquer convenção e tratado referente aos direitos humanos.

Sem contar da primeira-dama que não se envergonhou das suas fotos nuas, muito menos as celebridades tiveram vergonha de entrar e sair de clínicas de reabilitação.

Estes foram apenas alguns dos fatos que marcaram o ano de 2008, que terminou com tantos acontecimentos e mudanças cujos reflexos vão ser sentidos durante vários anos.

Mas, mesmo com uma espiral ou caleidoscópio de eventos, um único ponto em comum vai servir como parâmetro de comparação: a ascensão e consolidação da internet como veículo de massa. Onde o conceito de aldeia global e cutura de massas se mostrou mais atual do que muitos apocalípticos poderiam imaginar.

Dentro deste vasto mundo cibernético, apenas uma ferramenta conseguiu se destacar no meio deste turbilhão: o Twitter, um serviço de microblogging que criou um novo parâmetro para a comunicação mundial.

Por meio da ferramenta internautas de todo o mundo tomaram conhecimento em primeira mão dos Atentado em Bombaim, Terremoto em São Paulo, opiniões e posicionamento durante as eleições municipais em todo o Brasil, movimentação da bolsa, crise americana, novos produtos e serviços foram divulgados, O Twitter teve tanta importância na sociedade em 2008, que o governo pediu para a população parar de usar o twitter e divulgar a situação na Índia, a eleição de Barack Obama.

Mas tirando todo o aspecto sério também aconteceram muitas formas de diversão e interação: paródias com o padre que sumiu ao tentar voar com balões, falsos boatos de Steve Jobs no hospital, O Dia Internacional de Hablar Portunhol e o mais inusitado a mulher que estava no ginecologista durante o terremoto no sul da California.

Também não podemos esquecer as lendas urbanas, ou melhor, internéticas como o rapaz que foi preso por engano que twittou informando a situação. Os amigos perceberam que ele falava a verdade e foram socorrer o pobre coitado que acabou resolvendo o mal entendido. Embora, fato similar tenha ocorrido realmente com um estudante americano preso no Egito, muitas versões são encontradas na internet.

Com tanta informação correndo na velocidade dos acontecimentos muitas vezes o sistema apresentou sobrecarga e foi comum ficar fora do ar e na mesma onda que o a palavra "Twittar" virou verbo, a baleia, símbolo do sistema em momentos de sobrecarga, também virou referência para qualquer coisa que desse defeito.

Em resumo, no ano de 2008, vimos uma nova forma de fazer comunicação, marketing, política e interação surgir. Lógico. O Twitter vai ser aperfeiçoado, estudado, debatido e comentantado, mas por hora a única coisa que resta a saber é: "What are you doing?

2 comentários:

Khemrajunior disse...

aeaeihieahiua eu vi a imagem e lembrei que um cara da nfo no podcast comentou que essa era a imagem do ano.

vc tambem ouviu ?

Skrol disse...

Sim. Ouvi e realmente o twitter dominou todo o ano de 2008.

compartilhar

Posts relacionados