segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Dia Mundial de Luta Contra Aids

"A gente já estava ficando junto tinha mais de seis meses, uma noite dessas a gente estava sem camisinha e acabou acontecendo. Eu sei que poderia ter pegado uma doença, ter ficado grávida. Mas, também sabia que a merda já estava feita e agora tinha como opção somente aguardar o resultado dos vários exames que fiz e ainda agüentar a cara da médica de reprovação. Depois de alguns dias aconteceu de novo e estava virando um fato constante, então resolvemos fazer um exame juntos e abandonar definitivamente a camisinha, o resultado sai na próxima semana, mas ambos somos saudáveis e tenho certeza que vai dar negativo". Michele, 30 anos


"Ele era um fofo! Bonitinho, aquele jeitinho de menino moleque e aconteceu. Eu tinha camisinha e até dei para ele colocar, mas ele falou que não gostava e o tesão foi tão grande que rolou. Lógico, que eu sei que poderia ter pegado uma doença e lógico que sei que foi irresponsável, mas no dia a dia você já tem que ficar preocupada em não levar uma bala perdida, não ser estuprada no ponto de ônibus, não ser atropelada quando está atravessando a rua ou qualquer outra coisa e tem momentos na vida da gente que você precisa se sentir viva e viver um pouco o momento. Caso contrário o que você está fazendo no mundo? Ou você acredita que não pode pegar qualquer outra doença ruim, mesmo que andando de ônibus ou beijando alguém na balada?". Patrícia, 27 anos

Hoje 1o. de dezembro, Dia Mundial de Luta Contra Aids, deixo o depoimento de duas amigas, ambas tem uma boa formação, sabem dos perigos de transar sem camisinha, mas tratam do assunto como se fosse um problema que acontece somente com o vizinho ou um amigo e nunca seria com elas. Felizmente, a sorte tem sido companheira de ambas nesta roleta russa, embora um dia o revolver possa disparar.

Os depoimentos tem como objetivo mostrar que não importa a classe social, nível de escolaridade, idade ou qualquer outro índice. Hoje, cada vez mais as pessoas estão deixando de se preocupar e é cada vez mais comum fazer sexo sem proteção.

Abaixo deixo duas animações de primeira qualidade que descobri no blog Fora de Moda. O primeiro é para o público heterossexual e o outro para o público homossexual (gays masculinos). O site Garapa também produziu alguns vídeos institucionais para a MTV que valem ser vistos.

Vídeo heterossexual




Vídeo homossexual (gay)

Dia Mundial de Luta Contra Aids

"A gente já estava ficando junto tinha mais de seis meses, uma noite dessas a gente estava sem camisinha e acabou acontecendo. Eu sei que poderia ter pegado uma doença, ter ficado grávida. Mas, também sabia que a merda já estava feita e agora tinha como opção somente aguardar o resultado dos vários exames que fiz e ainda agüentar a cara da médica de reprovação. Depois de alguns dias aconteceu de novo e estava virando um fato constante, então resolvemos fazer um exame juntos e abandonar definitivamente a camisinha, o resultado sai na próxima semana, mas ambos somos saudáveis e tenho certeza que vai dar negativo". Michele, 30 anos


"Ele era um fofo! Bonitinho, aquele jeitinho de menino moleque e aconteceu. Eu tinha camisinha e até dei para ele colocar, mas ele falou que não gostava e o tesão foi tão grande que rolou. Lógico, que eu sei que poderia ter pegado uma doença e lógico que sei que foi irresponsável, mas no dia a dia você já tem que ficar preocupada em não levar uma bala perdida, não ser estuprada no ponto de ônibus, não ser atropelada quando está atravessando a rua ou qualquer outra coisa e tem momentos na vida da gente que você precisa se sentir viva e viver um pouco o momento. Caso contrário o que você está fazendo no mundo? Ou você acredita que não pode pegar qualquer outra doença ruim, mesmo que andando de ônibus ou beijando alguém na balada?". Patrícia, 27 anos

Hoje 1o. de dezembro, Dia Mundial de Luta Contra Aids, deixo o depoimento de duas amigas, ambas tem uma boa formação, sabem dos perigos de transar sem camisinha, mas tratam do assunto como se fosse um problema que acontece somente com o vizinho ou um amigo e nunca seria com elas. Felizmente, a sorte tem sido companheira de ambas nesta roleta russa, embora um dia o revolver possa disparar.

Os depoimentos tem como objetivo mostrar que não importa a classe social, nível de escolaridade, idade ou qualquer outro índice. Hoje, cada vez mais as pessoas estão deixando de se preocupar e é cada vez mais comum fazer sexo sem proteção.

Abaixo deixo duas animações de primeira qualidade que descobri no blog Fora de Moda. O primeiro é para o público heterossexual e o outro para o público homossexual (gays masculinos). O site Garapa também produziu alguns vídeos institucionais para a MTV que valem ser vistos.

Vídeo heterossexual




Vídeo homossexual (gay)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

compartilhar

Posts relacionados