terça-feira, 7 de outubro de 2008

Novas rotinas no fechamento de jornais

A rede de jornais xpress, que inclui o Daily Express e Sunday Express, na Grã Bretanha está com uma nova rotina de produção e publicação de jornais, onde os repórteres alimentam diretamente as páginas. A informação foi anunciada em um memorando interno e com o implementação desta nova forma de fazer jornal a função de Editor pode estar com os dias contados.

A nova rotina de produção vai colocar na rua cerca de 80 Editores. Os repórteres vão ganhar mais poder escrevendo as matérias diretamente nas páginas. A revisão final vai ficar por conta de uma equipe de 26 copidesques e advogados, divididos em dois grupos (Notícias e Esportes), assumindo a edição final ou fechamento da editoria.

A programação visual das páginas continuará a ser definida por designers/diagramadores, através do sistema de publicação em funcionamento nos jornais. O memorando, ainda, explica que as mudanças são necessárias pois "as perdas de receitas significam cortes inevitáveis para assegurar nossa sobrevivência a longo prazo".

A empresa está em negociação com a central sindical de jornalistas na Grã-Bretanha, para evitar protestos com introdução das mudanças. A matéria completa publicada pelo Guardian pode ser conferida no link: Express unveils plan for sub-free future

Novas rotinas no fechamento de jornais

A rede de jornais xpress, que inclui o Daily Express e Sunday Express, na Grã Bretanha está com uma nova rotina de produção e publicação de jornais, onde os repórteres alimentam diretamente as páginas. A informação foi anunciada em um memorando interno e com o implementação desta nova forma de fazer jornal a função de Editor pode estar com os dias contados.

A nova rotina de produção vai colocar na rua cerca de 80 Editores. Os repórteres vão ganhar mais poder escrevendo as matérias diretamente nas páginas. A revisão final vai ficar por conta de uma equipe de 26 copidesques e advogados, divididos em dois grupos (Notícias e Esportes), assumindo a edição final ou fechamento da editoria.

A programação visual das páginas continuará a ser definida por designers/diagramadores, através do sistema de publicação em funcionamento nos jornais. O memorando, ainda, explica que as mudanças são necessárias pois "as perdas de receitas significam cortes inevitáveis para assegurar nossa sobrevivência a longo prazo".

A empresa está em negociação com a central sindical de jornalistas na Grã-Bretanha, para evitar protestos com introdução das mudanças. A matéria completa publicada pelo Guardian pode ser conferida no link: Express unveils plan for sub-free future

Nenhum comentário:

Postar um comentário

compartilhar

Posts relacionados