domingo, 11 de maio de 2008

Duas vidas em um corpo só

Nunca fui fã do Arnaldo Jabor, mas até eu confesso que algumas poucas vezes ele consegue acertar. Fica abaixo uma de suas crônicas sobre o caso do Ronaldo.

"Os travestis são centauros urbanos, duas vidas num corpo só. Não confundir o travesti com a caricatura da drag-queen. O travesti tem orgulho de ser quem é. Ele não é uma decaída.

Ele é uma afirmação de identidade. Ele não é da área moral, ele é da área artística. Há algo de clone no travesti, pois eles nascem de dentro de si mesmos.Quem está nu ali na esquina, o homem ou a mulher nele?

O que oferece o travesti ao homem que o procura? A chance de ser a mulher de uma mulher.
O travesti não é simples e doce, há um lado 'criminal' no travesti. Ele tem coragem de ser duplo, do terror e glória no centro da madrugada.

O homem que se casa com a prostituta se acha um 'benfeitor', que humilha a mulher que salvou. O travesti nunca será grato a você. Você é que terá de lhe agradecer. O travesti não dá uma boa esposa, você é que poderá virar esposa dele: "Querida, já lavei sua minissaia de oncinha".

O travesti tem algo de caubói, corajoso como um John Wayne de biquíni 'fio dental'. Você passa no carro e o vê, uma Marilyn de botas no meio dos faróis e lá se vai o pai de família perdido de loucura. O travesti nos fascina porque assume a verdade de sua mentira."

Nenhum comentário:

compartilhar

Posts relacionados