sábado, 3 de maio de 2008

DIA MUNDIAL DA LIBERDADE DE IMPRENSA

Ainda há muito a fazer

Por Artigo 19 em 3/5/2008


A liberdade de imprensa é essencial para a consolidação das democracias. Os meios de comunicação têm o papel fundamental de disseminar informações, permitindo ao cidadão acompanhar diversos temas e tomar decisões bem fundamentadas nas mais variadas áreas de sua vida.

A liberdade de imprensa decorre do direito humano à liberdade de expressão, garantido a todos os indivíduos pelos principais tratados internacionais de direitos humanos e pela Constituição Federal brasileira. Isso significa que os meios de comunicação podem veicular notícias e manifestar opiniões sem sofrer censura prévia, indução à autocensura ou qualquer tipo de restrição abusiva.

Mas a liberdade de expressão só é plenamente exercida em um ambiente que garanta o livre acesso à informação e a livre circulação de idéias, e onde estejam presentes o pluralismo e a diversidade. Para exercer a liberdade de imprensa de forma legítima, os meios de comunicação devem respeitar os direitos fundamentais de cada cidadão.

No Brasil, ainda que a liberdade de imprensa seja formalmente garantida, ainda existem uma série de desafios para sua concretização.

Em 3 de maio celebra-se o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa. Qual a situação da liberdade de imprensa no Brasil hoje?

Para responder esta pergunta, a ARTIGO 19 entrevistou representantes das seguintes entidades: Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Associação Nacional de Jornais (ANJ), Observatório da Imprensa, Intervozes, Associação Mundial de Rádios Comunitárias (Amarc) e Associação Brasileira de Imprensa (ABI). E concluiu que, embora a Constituição Federal brasileira garanta esse direito, ainda existe uma série de desafios para a consolidação plena da liberdade de imprensa no país.

Copiado do site: Livre Acesso.Net

DIA MUNDIAL DA LIBERDADE DE IMPRENSA

Ainda há muito a fazer

Por Artigo 19 em 3/5/2008


A liberdade de imprensa é essencial para a consolidação das democracias. Os meios de comunicação têm o papel fundamental de disseminar informações, permitindo ao cidadão acompanhar diversos temas e tomar decisões bem fundamentadas nas mais variadas áreas de sua vida.

A liberdade de imprensa decorre do direito humano à liberdade de expressão, garantido a todos os indivíduos pelos principais tratados internacionais de direitos humanos e pela Constituição Federal brasileira. Isso significa que os meios de comunicação podem veicular notícias e manifestar opiniões sem sofrer censura prévia, indução à autocensura ou qualquer tipo de restrição abusiva.

Mas a liberdade de expressão só é plenamente exercida em um ambiente que garanta o livre acesso à informação e a livre circulação de idéias, e onde estejam presentes o pluralismo e a diversidade. Para exercer a liberdade de imprensa de forma legítima, os meios de comunicação devem respeitar os direitos fundamentais de cada cidadão.

No Brasil, ainda que a liberdade de imprensa seja formalmente garantida, ainda existem uma série de desafios para sua concretização.

Em 3 de maio celebra-se o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa. Qual a situação da liberdade de imprensa no Brasil hoje?

Para responder esta pergunta, a ARTIGO 19 entrevistou representantes das seguintes entidades: Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Associação Nacional de Jornais (ANJ), Observatório da Imprensa, Intervozes, Associação Mundial de Rádios Comunitárias (Amarc) e Associação Brasileira de Imprensa (ABI). E concluiu que, embora a Constituição Federal brasileira garanta esse direito, ainda existe uma série de desafios para a consolidação plena da liberdade de imprensa no país.

Copiado do site: Livre Acesso.Net

Nenhum comentário:

Postar um comentário

compartilhar

Posts relacionados