terça-feira, 31 de maio de 2005

Casamentos imperfeitos

"Depressivo!" Assim pode ser classificado a tão alardeada estréia do novo formato do Jornal da Globo. Os apresentadores (Wilian Waak e Christiane Palejo) não transmitiram carisma, muito menos conseguiram dar conta da nova proposta, de levar ao ar um jornal ágil, analítico e com as principais informações do dia com um ponto de vista mais aprofundado.

Entretanto, o que se observou foi uma mistura de Jornal Hoje com Jornal Nacional. O efeito negativo já devia de ser esperado, o formato antigo era mais ágil e realmente conseguia ter uma analise aprofundada da conjuntura nacional e internacional e ainda oferecendo pinceladas de comportamento e cultura.

Nesse ambiente, já testado e sempre com o mesmo resultado do fracasso, vide o Vitrine da TV Cultura, quando era apresentado por Maria Cristina Poli, que era uma revista de cultura, entretenimento e comportamento, perdeu totalmente a qualidade quando foi reformulado e entregue o comando ao "blogueiro" Marcelo Tass.

No final, a sensação foi de "eu já vi essa matéria hoje algumas vezes", Arnaldo Jabor, além de ter sido cortado, não estava demonstrado estar confortável, diferente das suas costumeiras participações e a participação política e econômica foi totalmente reduzida, mesmo hoje o Brasil tento tido uma importante vitória na OMC, não foi repercutido muito menos comentado qual o impacto da decisão para os criadores de frango brasileiros.

O certo que esse foi o primeiro programa da nova dupla, e como em uma peça de teatro, os ajustes serão feitos a partir de agora, embora tenha ficado claro que a nova apresentadora não tem capacidade para assumir o papel principal, ficando claro que mesmo como coadjuvante ela estava muito bem na GloboNews, mas o estilo dela não vai servir para continuar a frente do "melhor" telejornal que a emissora tinha.

Nenhum comentário:

compartilhar

Posts relacionados