sexta-feira, 22 de abril de 2005

Ser ou não ser intelectual

Foi o tempo em que ser moderno era apenas usar as roupas mais badaladas, freqüentar os lugares in, saber que Miami mesmo aparecendo é o pior lugar para brasileiro fazer turismo. Atualmente como li há pouco tempo na coluna digital da Joyce Pascowitch quem é moderno já superou a fase do modismo visual e passou a se interessar pelo intelectual.

Lógico que como diria Adorno, tudo fruto da Industria Cultural que propagandiou os benefícios de se estudar filosofia. Vale lembrar que é a maior onda do momento das celebridades e terem aulas particulares desse tema, as reuniões eles versam entusiasmados sobre o pensamento de Sócrates e Platão, mesmo sem saber qual ligação prática eles têm no nosso século. A prática já está tão popularizada, que atualmente você ir a um evento social e não comentar que tem personal filósofo é praticamente a morte social.

Enfim, deveria ser bom saber que a cada dia a grande massa está se interessando por coisas mais profundas, além das telenovelas, entretanto esse fenômeno vem acompanhado de vários cursinhos, rápidos, onlines ou sem presença obrigatória, que no final vão conferir diplomas de graduados, no mínimo ou especialistas em um assunto que a cultura de massas está popularizando e desestruturando.

Nenhum comentário:

compartilhar

Posts relacionados